Ar

A Suíça é conhecida pela boa qualidade do seu ar. No ranking da OMS é o 13º país do mundo com o nível de poluição mais baixo.

Cientista em estação de medição junto ao Jungfraujoch
Os cientistas analisam no Jungfraujoch o efeito da poeira fina na alteração climática. © Paul Scherrer Institute

A qualidade do ar depende do local, da estação do ano e da altitude acima do nível do mar. As áreas urbanas do Planalto suíço, com um trânsito intenso, apresentam uma poluição atmosférica à das regiões montanhosas nos Alpes e no Jura. 

A emissão de substâncias tóxicas por habitante é claramente menor na Suíça do que em outros países da Europa ocidental, com uma densidade populacional comparável. Desde 1990 tem sido possível baixar claramente a emissão de diferentes substâncias tóxicas: dióxido de enxofre (SO2) em 80 porcento, partículas finas (PM10) em 40 porcento, óxidos de nitrogênio (NOx) em 50 porcento e compostos orgânicos voláteis (NIVOC) em 70 porcento. 

Este desenvolvimento positivo abrangente foi possível graças à política da Confederação, dos cantões e dos municípios em relação à poluição atmosférica. Esta política baseia-se principalmente no regulamento relativo à poluição atmosférica, que entrou em vigor em 1986. Ela apoia-se na lei federal sobre a proteção ambiental e inclui um catálogo de medidas para o trânsito, agricultura e indústria com vista à redução da emissão de substâncias tóxicas. 

A qualidade do ar é constantemente monitorada e analisada. Este controle é possibilitado pelas 16 estações de medição da Rede Nacional Suíça de Observação dos Poluentes Atmosféricos (NABEL). Além disso, a Suíça faz parte de uma rede internacional de monitoramento do ar. Sendo também membro de pleno direito da Agência Europeia do Ambiente.