Política energética

O petróleo é a fonte de energia mais importante da Suíça. O governo nacional definiu como objetivo diminuir o consumo de energias fósseis para 20% e aumentar a porcentagem de energias renováveis para 50%, até 2020.

Edifício com células fotoelétricas
Edifício com células solares, Wittigkofen (Berna). © FDFA, Presence Switzerland

Além da água e da madeira, a Suíça não possui mais recursos energéticos naturais. Por isso, importa 80% do consumo na forma de petróleo, gás natural, carvão e combustível nuclear. Em 2015, 59,9% da produção energética nacional provinha das usinas hidrelétricas e 33,5% das cinco usinas nucleares do país. Uma porcentagem de aproximadamente 6,6% provinha de produções de energia alternativas (vento, Sol, incineração de resíduos e biogás). 

O consumo de energia na Suíça aumentou mais de cinco vezes desde 1950. A maior parte dessa energia, ou seja mais de um terço, é consumida pelos transportes. O petróleo em bruto é a fonte de energia mais importante (41,9%), seguida pela energia nuclear (22,3%), pela energia hidráulica (13,1%) e pelo gás (11%). 

A política energética suíça tem o objetivo de garantir o abastecimento seguro com energia econômica e ecologicamente sustentável. Para atingir este objetivo, tem disponíveis, entre outros, um artigo da Constituição de 1990, a lei energética adotada em 1998 e o programa "EnergieSchweiz" lançado em 2001. Este programa têm o objetivo de, até 2020, diminuir em 20% as emissões de CO2 e o consumo de energia relativo a 1990. Além disso, a porcentagem de energias renováveis deve chegar aos 50% entre 2010 e 2020. 

Desde 2008 é cobrada uma taxa para as emissões de CO2 provenientes de combustíveis fósseis (petróleo, gás, carvão). Em sequência da catástrofe nuclear de Fukushima em 2011 está em curso, na Suíça, uma transição energética denominada "Estratégia energética 2050". Esta tem como objetivo a extinção gradual da energia nuclear na Suíça.

Informações adicionais