Colaboração e redes internacionais

A colaboração internacional na área de pesquisa é muito importante para a Suíça. Por um lado, faz parte de inúmeros programas e organizações de investigação internacionais. Por outro lado, mantém uma colaboração bilateral na área da investigação com países prioritários selecionados. Com a sua rede científica Swissnex, ela promove a posição da Suíça como centro da ciência no estrangeiro.

Interior do escritório da Swissnex India
© swissnex

A Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (conhecida pela abreviatura CERN), com sede em Genebra, é um dos maiores e mais renomados laboratórios científicos do mundo. As principais áreas de investigação são a Física Teórica, a composição do Universo e suas leis. O CERN é conhecido nomeadamente pela sua participação no "nascimento" da Internet em 1989 e pelo seu Grande Colisor de Hádrons, um acelerador de partículas, que levou, entre outras coisas, à descoberta do Bóson de Higgs. 

Desde 1956 que a multinacional de TI  IBM (International Business Machines Corporation) opera um importante instituto de investigação perto de Zurique. Os investigadores deste instituto foram distinguidos com o prêmio Nobel da Física em 1986 e 1987. Em 2011, o instituto de investigação IBM inaugurou o Binnig and Rohrer Nanotechnology Center (Centro de Nanotecnologia Binnig e Rohrer) em conjunto com com a Escola Politécnica Federal (ETH) de Zurique. 

A Escola Federal Técnica de Lausana (EPFL) lidera o ambicioso projeto de pesquisa europeu "Human Brain Project" (Projeto Cérebro Humano). Seu objetivo é simular a atividade cerebral em um computador para perceber melhor como o cérebro funciona. Aproximadamente 135 instituições, na sua maioria europeias, participam no projeto. O custo total do projeto é de quase 1,2 bilhões de euros. 

Quase todas as faculdades suíças participam em projetos de pesquisa no domínio aeroespacial. Os múltiplos projetos vão desde a Astronomia, passando pela Fisiologia Humana até à investigação sobre o clima. Os produtos gerados são também variados, p. ex. estruturas, módulos óticos, mecânicos e eletrónicos, instrumentos científicos e equipamento do solo. A Suíça é membro fundador da Agência Espacial Europeia (AEE), contribui anualmente com cerca de 170 milhões de francos e está particularmente envolvida em programas de observação terrestre. 

Oficialmente, a Suíça está presente no estrangeiro com conselheiros de embaixada nas áreas da formação, pesquisa e inovação e também com as representações científicas da Swissnex, uma rede de representações científicas diplomáticas. A tarefa da Swissnex é apoiar as instituições das áreas do ensino superior e da pesquisa suíços, bem como empresas start-up da área da pesquisa, nos seus esforços de internacionalização. No total existem cinco representações da Swissnex: Boston, São Francisco, Xangai, Bangalore e Rio de Janeiro.