A organização da ciência e da pesquisa na Suíça

Conforme uma divisão de funções histórica entre setores privados e públicos, a pesquisa básica é feita principalmente nas universidades e nas Escolas Politécnicas Federais. Por sua vez, a pesquisa e o desenvolvimento aplicados e sua implementação em inovações comercializáveis são domínios do setor privado e das escolas universitárias profissionais.

Visão panorâmica de um pavilhão do instituto Paul Scherrer
O Paul Scherrer Institut é o maior centro de pesquisa de Engenharia e Ciências Naturais na Suíça. © Paul Scherrer Institut

A Suíça é muito competitiva nas áreas da pesquisa e da inovação. Ela também faz parte dos países que mais gastam em Pesquisa e no Desenvolvimento (P&D) em relação ao seu Produto Interno Bruto. O setor privado contribui com cerca de dois terços das despesas suíças para P&D, que representam  3,4% do PIB ou mais de 22 bilhões de Francos (2015). O fomento público da pesquisa baseia-se principalmente na iniciativa própria do investigador, no princípio da concorrência e na cooperação internacional.

A Confederação é responsável pelo financiamento do fomento da pesquisa e da inovação das seguintes áreas:

  • ambas as Escolas Politécnicas Federais de Zurique e de Lausana obtiveram uma reputação mundial graças a seus feitos nas ciências naturais. Na área das Escolas Politécnicas Federais incluem-se também quatro instituições de pesquisa. Entre elas está o Instituto Paul Scherrer, uma das instituições de pesquisa líderes da Europa. Cientistas de todo o mundo visitam o instituto para terem acesso a equipamentos como a "Swiss Light Source" (Fonte de Luz Suíça) ou a “Spallation Neutron Source” (Fonte de Espalação de Nêutrons).
  • O Fundo Nacional Suíço (FNS) fomenta a pesquisa fundamental em todas as disciplinas científicas, desde História, passando pela Medicina, até às Engenharias. Anualmente, o fundo apoia mais de 3400 projetos, com cerca de 14.000 investigadores.
  • A Innosuisse, Agência Suíça para a Promoção da Inovação, apoia a inovação baseada na ciência de acordo com o interesse das empresas e da sociedade, fortalecendo assim a competitividade das PME (Pequenas e Médias Empresas) e das Start-ups na Suíça.
  • A Confederação também financia a união acadêmica da Suíça, bem como quase 30 instituições de pesquisa, além das escolas superiores.

Além disso, a colaboração internacional em pesquisa é muito importante para a Suíça. Por um lado, a Suíça faz parte de inúmeras organizações e programas de pesquisa internacionais, como, por exemplo, o CERN. Por outro lado, mantém uma colaboração bilateral em pesquisa com países prioritários selecionados. Oficialmente, a Suíça está presente no estrangeiro com conselheiros de embaixada nas áreas da educação, pesquisa e inovação, e também com a Swissnex, uma rede de representações científicas diplomáticas.

As tarefas da Confederação são levadas a cabo principalmente pela Secretaria de Estado para a Educação, Investigação e Inovação (SBFI). Esta secretaria é responsável pelo gerenciamento e financiamento das Escolas Politécnicas Federais, pela regulamentação e cofinanciamento das escolas universitárias profissionais e pelo apoio às universidades cantonais. Além disso, a SBFI desenvolve estratégias de pesquisa internacionais.

Por sua vez, os cantões empenham-se em seu papel como suporte das universidades e escolas universitárias profissionais. Eles recebem apoio financeiro da Confederação.