Energia

Usina eólica de Mont-Crosin
Usina eólica de Mont-Crosin © Ringier

Atualmente, a maior parte da energia consumida na Suíça vem de fontes não renováveis, e é principalmente importada. A Suíça quer reduzir seu consumo e adotar uma abordagem mais sustentável. Para atingir esse objetivo, em 2011, o Conselho Federal definiu a estratégia energética 2050.

As principais fontes de energia utilizadas na Suíça são: petróleo, eletricidade produzida por usinas nucleares e hidroelétricas e gás natural. Cerca de 80% do consumo é coberto por importações de energia proveniente de fontes não renováveis. Para se libertar da dependência das energias fósseis, que, além de tudo, devem ser importadas, em 2011, a Suíça decidiu implementar uma transição energética. 

A nova estratégia energética tem por objetivo a redução massiva e gradual do consumo de energia até 2050, e o aumento significativo da porcentagem de energias renováveis no mix de energia. As usinas nucleares devem ser desativadas no final de sua vida útil.

Energia – Fatos e números

Os tipos de energia mais importantes usados na Suíça são o petróleo, a energia proveniente de usinas nucleares e hidrelétricas, bem como o gás natural. Energias renováveis como o calor ambiente, biomassa e energia eólica ou solar apresentaram um forte aumento a partir de cerca de 2005.

Política energética

O petróleo é a fonte de energia mais importante da Suíça. O governo nacional definiu como objetivo diminuir o consumo de energias fósseis para 20% e aumentar a porcentagem de energias renováveis para 50%, até 2020.

A transição energética

A Suíça segue uma estratégia energética ambiciosa, devendo a mesma ser implementada até 2050. Um dos seus objetivos é especialmente a extinção da energia nuclear na Suíça.

Energias renováveis

As energias renováveis na Suíça vêm ganhando uma importância cada vez maior desde há alguns anos. A maior porcentagem cabe à energia hidráulica.

Energias não renováveis

As energias não renováveis dominam o cabaz energético da Suíça, o que causa uma dependência do estrangeiro para abastecimento de energia.