Falecimento

Considerações sobre falecimentos

Falecimentos não são informados automaticamente às autoridades suíças pelas autoridades brasileiras. Essa comunicação é de responsabilidade da família da pessoa falecida.

O Consulado Geral verifica os documentos e os encaminha a comuna competente na Suíça. Este serviço normalmente não é cobrado.

 

Para inscrever na Suíça um óbito de um(a) cidadão(ã) suíço(a) ocorrido no Brasil, é necessário encaminhar à representação consular competente o seguinte documento: 

  • Certidão de óbito original apostilada ou 2 cópias autenticadas apostiladas em Cartório e com data de emissão inferior a 6 meses.

Caso o(a) cidadão(a) suíço(a)  falecido(a) tenha um passaporte suíço e/ou carteira de identidade suíça, estes documentos devem ser enviados ao Consulado Geral competente para cancelamento destes. Após o cancelamento estes documentos podem ser devolvidos aos familiares mediante solicitação.

O Consulado Geral competente encaminhará a certidão de óbito para a comuna de origem na Suíça da pessoa falecida e informará, se necessário, a “Caísse Suisse de Compensation”, em Genebra. Essa autoridade é responsável pela aposentadoria suíça.

As autoridades suíças não aceitam certidões plastificadas, reduzidas ou não apostiladas. 

Informe, por favor, também o seu endereço ou o endereço de familiares para eventuais dúvidas.

Atenção:
É necessário apostilar todos os documentos oficiais. O Brasil e a Suíça fazem parte da “Convenção da Apostila da Haia”. Por isso, os documentos emitidos no Brasil e destinados à Suíça deverão ser apostilados junto às autoridades competentes locais (cartórios).

Para mais informações sobre o apostilamento de documentos, consulte o Portal do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão brasileiro responsável pela aplicação da Convenção no Brasil. No site do CNJ também poderá ser encontrado a lista com os cartórios autorizados a prestar o serviço.